A ARCA PERDIDA DA ALIANÇA

A cidade mística de Jerusalém, talvez a cidade mais famosa em toda a história do mundo. Uma cidade de cujas raízes emergiram as três grandes religiões do ocidente. O Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo. Jerusalém é uma cidade construída em torno as mais poderosas e sagrada das relíquias do Antigo Testamento, A Arca da Aliança.

O deserto como origem

Moises guardou as tábuas com os 10 Mandamentos na Arca.

Faz 3000 anos a Arca foi trazida a Jerusalém e adorado como o mais sagrado dos objetos sagrados, era a personificação da presença de Deus na Terra. No entanto, em algum momento desse remoto passado a Arca desapareceu, isso deu origem a uma busca que tem inspirada a crentes e caçadores de fortunas durante milênios. A busca segue sendo hoje objeto de ficção popular. Desejada pelos cavaleiros templários, místicos, arqueólogos e aventureiros, a Arca perdida da Aliança tem induzido a gerações inteiras à busca.

Depois de 3000 anos a evidencia mais recente pode ser a chave para procurar o local onde repousa a Arca da Aliança.

“E deu a Moises no Monte Sinais duas tábuas do testamento, duas tábuas de pedras escritas com o dedo de Deus. E Moises tomou o testamento e a pôs dentro da Arca. ” (Livro do Êxodo). A Arca da Aliança, o recipiente sagrado que contém as tabuas originais dos Dez Mandamentos, de acordo com a história bíblica, era o objeto mais bonito e poderoso do mundo. Seu comprimento era de dois cotovelos e meios, sua espessura de cotovelo e meio e sua altura de cotovelo e meio. Estava construída de madeira de acácia, encapada do mais fino ouro por dentro e por fora. E na cobertura havia dois querubins, um frendo do outro, em silenciosa vigília.

A Arca foi construída pelos hebreus ao pé do Monte Sinai, seus planos era a descrição mais detalhada que se desse no antigo Testamento, já que, segundo Moisés, vinham diretamente de Deus. Entre as figuras colocadas no alto da Arca, Deus na forma de uma imensa bola de fogo se dirigia aos sumos sacerdotes. A Arca era uma prova absoluta, o ciclo e o selo da presença de Deus na Terra.

Teria poderes lendários: deter o curso dos rios e esmagar montanhas, quebrar e transgredir e destruir exércitos inteiros. Durante a campanha de Josué para tomar a cidade Jericó, o Antigo Testamento narra a história da Arca e do exército: por seis dias consecutivos um grupo eleito de sacerdotes marchou em torno da cidade com a Arca nos ombros, ao sétimo dia terminaram sete vezes al redor da Arca e então ao deixar ouvir suas trombetas, os muros de Jericó caíram.

Ao longo de 200 referencias o Antigo Testamento descreve em detalhe os surpreendentes poderes da Arca. Durante centenas de anos os hebreus a levaram consigo de um lado para outro. Quando o rei David começo seu reinado no fim do século XI antes da nossa era, fez trazer a Arca a uma aldeia em um monte, encima havia uma grande pedra plana e sobre essa David planejava construir um templo para a Arca, mas David morreu antes de que pudesse colocar em pratica seus planos e a tarefa recaiu sobre seu filho Salomão, quem reinou desde o ano 970 ao 931 antes de Cristo.

Aqui a Arca sob a fumaça, é transportada.

Durante o reinado de Salomão, Jerusalém passou a ser o centro da vida política e religiosa na Terra Santa. Em pleno coração da cidade se erguia o templo construído por Salomão para abrigar a Arca da Aliança, na qual permaneceu no templo até algo depois do ano 900 a.C. quando, misteriosamente, desapareceu. Desde então, não se fez grande menção dela na Biblia. Como pode o objeto mais importantes do mundo ocidental desaparecer sem deixar rastros ou ao menos alguma indicação de seu desaparecimento? Onde se encontra a Arca da Aliança atualmente?

Apesar de suas diferenças, o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo, tem um elemento em comum, todos adoram a um só Deus. E o conceito desse Deus era, no princípio, personificado pela Arca da Aliança. Seu poder dominava os primeiros livros do Antigo Testamento. Inexplicavelmente a Arca desapareceu e durante mais de 2000 anos de busca e exploração se tem tecido dezenas de lendas e teorias em torno da Arca Perdida. Muitos creem que a Arca desapareceu num momento de crise, bem foi capturada como troféu por um exército conquistador ou escondida em alguma passagem secreta por sacerdotes do templo.

Se a Arca foi capturada, a teoria com maior fundamento é que foi despedaçada e saqueado seu ouro quando os babilônios conquistaram Jerusalém no ano 586 a.C. De acordo com o antigo Testamento, o líder babilônico Nabucodonosor e seu exército destruíram o templo sagrado de Salomão e enviaram aos israelitas ao exilio. No entanto. Há um feito do que não cabe a menor dúvida, existem registros detalhados de todos os tesouros que foram capturados nos templos e levados a Babilônia, mas a Arca não se encontrava entre eles. Quando os hebreus voltaram a Jerusalém no ano 583 a.C., iniciaram a construção de um segundo templo, mas não há menção de que a Arca havia sido retornada a esse novo santuário. A partir desse momento, não se volte a fazer referência a Arca nas escrituras do Antigo Testamento.

A crença de que a Arca foi resgatada e escondida numa câmara secreta para tesouro, tem sido o pilar fundamental de uma busca que se tem prolongado por séculos.

O Monte do Templo
Representação da Arca da Aliança

Há quase 1000 anos as cruzadas cristãs recuperaram o controle de Jerusalém das mãos dos muçulmanos que haviam governado a cidade desde o sétimo século. Em 1119 da nossa era, um grupo composto por nove nobres franceses, que se faziam chamar os cavaleiros pobres de Cristo e do templo de Salomão, chegaram a Jerusalém. Se estabeleceram encima do monte, onde uma vez estava o templo de Salomão. Os cavaleiros sustentavam que sua missão na Terra Santa era manter livres de bandidos o caminho à cidade. No entanto, nunca saíram da montanha do templo, e em troca, começaram a cavar. Trabalhando do lado de fora da mesquita começaram a escavar a caverna natural que deitava embaixo da pedra sagrada. A caverna, segundo a tradição islâmica, se conhecia, como o “poço das almas”, uma passagem que levava as estranhas da terra e que conduzia a um tesouro guardado por demônios, na realidade o que os cavaleiros buscaram era a Arca da Aliança.

A Arca havia dado aos cavaleiros do monte do templo um vasto poder político até então. Cavaram e buscaram exaustivamente, mas nunca encontraram a Arca da Aliança.

Em 1126, os cavaleiros voltaram a França sem a preciosa relíquia. Porém, é provável que tenham encontrada algo que era igualmente valioso, o tesouro de Salomão que falaram não foi a Arca, mas o conhecimento de uma arquitetura que logo inspiraria uma forma que revolucionaria a arte, o desenho gótico.

Em época mais recentes, os arqueólogos israelenses descobriram a saída ao túnel que cavaram os cavaleiros da montanha do templo. O túnel se estende por debaixo da montanha, mas devido as restrições impostos pelo governo muçulmano, nunca tem sido explorada. Talvez ninguém chegue a saber que se encontra no fim dessa escavação que data do século XII.

Por acaso poderia a Arca estar talvez escondida em algum lugar debaixo da montanha?

Viagem ao Sul

Em1989, um jornalista britânico deu uma declaração que sacudiu ao mundo. A lendária Arca Perdida não se encontrava perdida na realidade e sim a salvo, escondida em uma igreja da Etiópia aonde havia sido transferida secretamente há mais de 1000 anos.

Uma teoria diz que a Arca se encontra em uma igreja, na Etiópia

Mas se a Arca esteve todo esse tempo na Etiópia, como pode o resto do mundo não se dar conta dela. Parte da resposta pode estar na lenda de como se transportou a Arca de Israel para Etiópia. A Biblia narra que no tempo de Salomão, Jerusalém era visitada pela misteriosa rainha de Sabá, os etíopes creiam que era uma rainha etíope. Conta a lenda que da união de Salomão e a rainha Sabá, nasceu Menelik I, primeiro rei da Etiópia. Anos mais tarde Menelik foi enviado a casa de seu pai em Jerusalém para receber educação. Apesar dos esforços de Salomão para que ficasse, Menelik voltou a Etiópia como o primeiro filho do sumo sacerdote. A tradição conta que se levaram consigo a Arca e a colocaram em um templo na ilha de Elefantina perto do rio Nilo, onde permaneceu por 800 anos. O que aconteceu depois desses 800 anos? Etiópia foi convertida ao Cristianismo e o rei cristão chegou com seus exércitos, levou a Arca a Aksum e a colocou na Igreja de Santa Maria de Sião, onde está desde então.

Estranhamente a Arca é o ponto central do culto e a adoração cristã na Etiópia, cada uma das 20.000 igrejas da Etiópia contém uma réplica da Arca da Aliança.

Foi encontrada a Arca Perdida? Se isso acontecesse produziria reações inimagináveis. Muitos consideram que seria melhor se o paradeiro da Arca continuasse sendo um mistério.

Fonte: https://mysteryplanet.com.ar/site/el-arca-perdida-de-la-alianza/

Publicado por Ufologia & Cosmos

Sou analista de sistemas apaixonado pelos estudos da teoria dos antigos astronautas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: