Os Arcontes: Seres de outro mundo e criadores da humanidade

Autor: Erick Sumoza                        Tradução de: Rafael Barros

Considerados na antiguidade como os servos do Demiurgo, os Arcontes seriam os seres criadores da humanidade, também conhecidos como «os governantes» pelos gregos.

Hipóteses dos Arcontes colocaria em dúvida o Gênesis bíblico

O Demiurgo é considerado como o deus que criou o homem e o deus transcendente que somente pode ser alcançado ao conhecer a verdadeira natureza humana como divina. Na antiguidade, os Arcontes eram aqueles quem tinham um cargo público nos governos.

No âmbito gnóstico, os Arcontes são considerados anjos, enquanto no Antigo Testamento os catalogam como demônios.

Hipóteses dos Arcontes

«Os governantes traçaram planos e disseram: «Venham, acreditemos a um homem que será terra da terra». Modelaram a sua criatura como uma criatura da terra. Agora o corpo de governantes […] que tem mulheres [..] é com a cara de uma fera. Haviam tirado um pouco de terra da terra e modelaram o seu homem segundo seu corpo e segundo a imagem de Deus que se lhes havia aparecido nas águas.

Disseram: «Venham, demos mão dela por meio da forma que temos modelado, para que possa ver sua contraparte masculina [..], e podemos aproveitá-la com a forma que temos modelado» Sem entender a força de Deus, devido a sua impotência. E ele respirou em sua face, e o homem chegou a ter uma alma (e permaneceu) na terra durante muito dias.

Mas não puderam fazê-lo surgir devia a sua impotência. Ao qual que os ventos da tempestade, persistiram (soprando) para tentar capturar essa imagem que se lhes havia aparecido nas águas. E eles não sabia a identidade de seu poder».

Conhecida como «A Verdade dos Governantes» essas hipóteses de Arcontes consistem numa análise e interpretação do Livro do Gênesis 1:6 da Bíblia.

O Livro de Gênesis 1:6 estabelece o mito gnóstico dos criadores divinos da humanidade e o universo.

Esse mito aparece tanto no Tanaj, primeiro bíblia hebraica, como no Antigo Testamento.

Esse texto muito antigo está na Biblioteca Nag Hammadi e recebe veneração junto a outros textos. Essa biblioteca é uma coleção de livros gnósticos e cristãos encontrados em 1945, no Alto Egito.

Crê-se que o texto data do século III d. C., durante a conversão do estado gnóstico ao filosófico.

O propósito do Texto

Baseia-se numa espécie de guia sobre o propósito dos Arcontes do mundo, apontados por São Paulo. A finalidade dessa escritura é instruir sobre o verdadeiro poder dos que tem autoridade neste mundo.

Os Arcontes: Seres de outro mundo, criadores da humanidade

A história começa com a supremacia do Demiurgo, o Arconte supremo através das palavras: «Eu sou o que sou, Deus não é nada separado de mim», disso para o Deus da Bíblia.

O propósito dos Arcontes se mostra como um pacto ensaiado, no qual um mestre toca um tema proposto por ele que recebe o trabalho.

O pacto começa como um fragmento cosmológico que leva a uma «história real» que trocaria os eventos do Gênesis.

Criando assim uma desconfiança gnóstica do universo material e o Demiurgo que o criou. Também nasce um «diálogo angelical», onde um anjo repete o fragmento cosmológico num alcance ampliado e conclui com uma profecia sobre a chegado do Salvador do mundo e o fim dos tempos,

Seres de outros mundos e plano com a humanidade

O especialista em estudos religiosos e cristianismo antigo e professor de línguas e civilizações do Próximo Oriente da Universidade de Yale, Bentley Layton, tem uma opinião bastante formada sobre esse tema.

Para ele a «Hipóteses dos Arcontes» é o relato da história gnóstica da criação do mundo desde o Yaldabaoth até o diluvio de Noé.

Concluindo com a vinda do Salvador, destruição do poder demoníaco, e triunfo dos gnósticos.

Tal qual como o descreve o livro « As hipóteses dos Arcontes: o texto copto com tradução e comentário» de Roger A. Bullard; O início e o texto final se referem a fragmentos gnósticos cristãos.

A outra parte do texto consiste numa narração mitológica da origem e características próprias dos poderes Arcontes que habitam os céus entre o Ogdoad e a Terra e como influenciam no destino das pessoas na Terra.

Podemos dizer que os Arcontes são seres de outros mundos? Tem uma espécie de planos para governar a humanidade? Uma história bastante interessante e que se parece muito a outras histórias de seres que governam à humanidade.

Fonte: UFO SPAIN

Publicado por Rafael Barros

Sou analista de sistemas apaixonado pelos estudos da teoria dos antigos astronautas e pesquisador da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psiquicas- AMPUP - MT

Um comentário em “Os Arcontes: Seres de outro mundo e criadores da humanidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: