A majestosa e monumental cidade maia de Uxmal

Autora: Mariló T.A.              Traduzido por: Rafael Barros

Localizada ao sul de Mérida, capital do estado mexicano de Yucatán, esta antiga cidade maia destaca por suas edificações de grande porte, ricamente decoradas. Desde o 7 de dezembro passado, a pré-histórica Uxmal e as cidades de Kabah, Labná e Sayill que compõem uns dos assentamentos mais importantes da antiga cultura maia, comemoram seus primeiros 20 anos como Patrimônio Mundial e não podemos deixar de celebrá-lo.

Uxmal, pertencente ao Período Clássico, localiza-se na chamada zona Puuc, sendo a cidade mais representativa desse estilo arquitetônico, com suas paredes baixos e retas sobre os que se abrem lisos muito ornamentados, aproveitando o relevo do terreno para ganhar altura e assim adquirir importantes volumes, Destacam de maneira especial a Pirâmide da Cartomante, com cinco níveis e o Palácio do Governador, que ocupa uma extensão de mais de 1.200 metros quadrados.

Pirâmide da Cartomante, em Uxmal, México (tato grosso / CC BY-SA 2.5)

Fundada no século VII, em 1573, o religioso espanhol frei Diego de Landa visitou Uxmal quando já era uma cidade abandonada. Logo a informação que coletou frei Antonio da Cidade Real explicava que os habitantes da zona desconheciam a origem de tais construções. Em 1658, outo monge chamado frei Diego Lopez de Cogolludo visitou a zona, e imaginando os usos que podem ter tido os edifícios que aí vendo, lhes deram os nomes que ainda hoje em dia conservam.

No século XIX se desenvolveu um grande interesse pela investigação arqueológica das culturas pré-colombianas, e em tal contexto visitaram Uxmal numerosos arqueólogos e pesquisadores europeus e americanos. Assim, no ano 1841 a antiga cidade maia foi visitada por uma equipe composta por John Lloyd Stephens, Frederick Catherwood e Samuel Cabot: Stephens se dedicava a fazer anotações sobre os edifícios e a cultura, Catherwood desenhava ilustrações e Cabot estudava a fauna da zona. Desejavam efetuar um estudo amplo de toda a zona de Yucatán e começaram pelas ruinas de Uxmal.

Vista da fachada Leste do “Palácio do Governador” na zona arqueológica de Uxmal, Yucatán, México (G. Concha C/ CC BY-SA 4.0)

A equipe ficou muito satisfeito com os descobrimentos realizados e organizou novas expedições a Uxmal. Posteriormente, em 1860, Désiré Charnay realizou uma série de fotografias da cidade que serviram para que me 1885 a imperatriz Carlota, esposa do imperador mexicano Maximiliano de Habsburgo, visitasse Uxmal. Logo, em 1909, Sylvanus G. Morley cartografou o local, incluindo alguns edifícios até então ignorados.

O primeiro projeto do Governo mexicano para a conservação do local veio em 1927, e entre 1929 e 1930 Frans Blom traçou o primeiro plano de Uxmal. Diversas restaurações começaram em 1936, mas não seria até o ano 1950 quando deu início a grande restauração de Uxmal, para que o que teria que limpar a zona e executar um estudo em profundidade. As investigações concluíram que o abandono da cidade Uxmal tenha sido produzido no século XIII, e não no XV como se pensava então.

Segundo informações publicadas pelo próprio Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) mexicano, durante seu maior apogeu Uxmal chegou a ter cerca de 25.000 habitantes ocupando uma extensão de 12 quilômetros quadrados. A disposição de seus edifícios é, além disso, uma clara mostra dos conhecimentos sobre astronomia dos maias. Assim, a Pirâmide do Cartomante domina o centro cerimonial, integrado por monumentos de impecável traçado e ornamentados de forma abundante com motivos simbólicos e efigies esculpidas de Chaac, deus da chuva.

Sua importância cultural reside em que se trata do assentamento mais representativo da arquitetura da região Puuc, tendo suas fachadas decoradas com máscaras de Chaac, grecas, painéis com hieróglifos e altos cristais. Tal grandeza monumental revela a importância que teve Uxmal como centro de desenvolvimento econômico e sócio-político da civilização maia pré-hispânica: Uxmal Kabah, Labná e Sayill, dão conta da estrutura social e econômica da sociedade maia tardia, antes de que desaparecesse no período Clássico Terminal (800-100 d.C.).

A grande Pirâmide de Uxmal, México. (Keith Pomakis / CC BY-SA 2.5)

Imagem de capa: Panorâmica de Uxmal. (Palimp Sesto / CC BY-SA 2.0)

Fonte: Ancient Origins ES

Publicado por Rafael Barros

Analista de sistemas apaixonado pelos estudos da teoria dos antigos astronautas e pesquisador da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psiquicas- AMPUP - MT

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: