El Tajín, a Cidade Perdida de um povo misterioso

Autor: Ed Whelan

Traduzido por: Rafael Barros

Em décadas recentes, muitas cidades perdidas têm sido descobertas por arqueólogos ou exploradores. Um dos mais misteriosos é a antiga cidade de El Tajín, no estado de Veracruz, México. A cidade foi catalogada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO na década de 1990, já que todos os monumentos em El Tajín, incluindo a paisagem ao redor, tem sobrevivido praticamente inalterados ao longo dos séculos, ocultos ao homem pela selva tropical.

O mistério de El Tajín

A cidade foi construída e habitada entre 800 a.C. e 1200 d.C. por uma cultura muito provavelmente influenciada pelos olmecas, embora quem eram exatamente, segue sendo uma incógnita. Alguns creem que foram os antepassados dos toltecas o que eram uma rama dos poderosos maias. Algumas evidencias sugerem que os construtores de El Tajín fora os ancestrais dos huastecos que ainda vivem no estado de Veracruz.

A evidencia arqueológica sugere que a cidade era rica e que era a capital de um reino que dominava grande parte do sudeste do México. Encontra-se entre importantes redes comerciais e era uma cidade multiétnica.

Em seu apogeu, umas 200.00 pessoas viviam em El Tajín, principalmente nas colinas circundantes. A cidade e seu interior sobreviveram ao colapso social do Período Clássico, porém El Tajín continuou prosperando. Em 1300, no entanto, a cidade foi invadida por um povo nômade conhecido como Chitimec, que vivia no que hoje é o norte do México. Foi parcialmente destruído e abandonado, e os residentes estabeleceram outra cidade a certa distância. A cidade abandonada era conhecida pelos toltecas e os astecas posteriores, e associavam as ruinas com o sobrenatural e ao reino dos mortos. Após a conquista espanhola a cidade foi esquecida. Isso possivelmente esteve relacionado com o colapso do povo Huastec devido à guerra e a doença.

O redescobrimento da cidade perdida de El Tajín

El Tajín encontra-se em um altiplano semitropical e logo foi coberta por arvores. Estava escondida na densa floresta e só foi descoberta em 1785 por um funcionário do governo que buscava plantações ilegais de tabaco.

Modelo em escala de El Tajín (Dodd, G / Domínio público)

A notícia do descobrimento da cidade perdida causou sensação, mais foi só no século XX que a cidade foi escavada. O descobrimento de petróleo abriu a área para os arqueólogos que, junto com outros, limparam a floresta da cidade perdida. Até o momento, somente se tem investigado os 50% da localização e se declarou parque arqueológico nacional para proteger suas numerosas ruínas.

As maravilhas de El Tajín, México

A parte mais antiga da cidade é o Grupo Aroyo, que é uma praça rodeada por uma observância de pirâmides escalonadas que se tem recuperado da selva. Situados na parte superior estão os templos.

Até a queda da cidade a praça era utilizada como um mercado que também apresentava muitas estátuas. Talvez o edifício mais importante em El Tajín é a pirâmide dos Nichos. A pirâmide recebe seu nome dos muitos nichos de todos os níveis e representa as cavernas que simbolizam as portas de entrada ao submundo. Essa construção está composta de ladrilhos e tem sete andares de altura. Se compõem de três lados inclinados e uma parede vertical, típica da Mesoamérica.

Pirâmide dos nichos, El Tajín (Domínio público)

O que distingue essa pirâmide, assim como as menores, é o uso de contrafortes voadores. Muitos especialistas creem que a pirâmide uma fez foi pintada de vermelho e foi coroada por uma enorme estatua de uma divindade. O diferencial de todos os demais, o Templo Azul, chamado assim porque estava pintado com pigmento azul, não tem contrafortes voadores.

Outra área importante é o Tajín Chico, que é um complexo de edifícios, alguns dos quais eram administrativos, todos esses estão bem conservados e também estão cheios de ladrilhos.

El Tajín jogo de pelota (Domínio público)

Há pelo menos 17 jogos de pelota na cidade, onde os competidores jogavam um jogo que teve um grande significado religioso. Se crê que esta tradição derivada dos maias como os perdedores do jogo de pelota quem foram decapitados e sacrificados para adorar as divindades.

Como visitar El Tajín

Os ônibus saem de Poza Rica / Papaltla na cidade de El Tajín e há alojamento disponível próximo da antiga cidade. É possível organizar um tour a pé pelo parque arqueológico, mas os visitantes também podem contratar um guia.

Há um excelente museu com muitos artefatos como altares. Os altos-relevos de monumentos como a Pirâmide dos Nichos oferecem uma visão única da sociedade mesoamericana e suas crenças. Todos os anos, em março, há um festival que celebra a cultura e a música indígenas, e a moderna cidade de Tajín tem lugares destacados como a igreja da Igrejas da Assunção

Imagem de primeira página: El Tajín Fonte: Swigart / CC BY-NC-ND 2.0

Fonte: Ancient-Origins ES

Publicado por Ufologia & Cosmos

Sou analista de sistemas apaixonado pelos estudos da teoria dos antigos astronautas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: