Vimanas e seu funcionamento explicados pelos textos antigos

Segredos que cada piloto Vimana deve aprender, explicados pelos textos antigos.

Autor: site Exploracion Ovni

Traduzido por: Rafael Barros

Essas são as táticas e estratégias de voo e combate, explicados pelos textos antigos, que todo piloto de uma Vimana deve aprender.

Aachaarya Narayana diz: “O que pode acelerar na terra, na água, através do ar, por seu próprio poder, como um passado, é uma “Vimana”.

Shankha diz “Os especialistas na ciência da aeronáutica dizem: O que pode voar pelo ar de um lugar para outro é uma Vimana”.

E Vishwambhara diz: “Os especialistas dizem que o que pode voar através do ar de uma país a outro país, de uma ilha a outra ilha, e de um mundo a outro mundo é uma “Vimana””.

Essas são as definições das misteriosas aeronaves chamadas “Vimanas”, dispositivos voadores antigos que os seres humanos conheceram há uns 6.000 anos.

Bodhaananda: Os cientistas dizem que há 32 segredos do trabalho dos Vimana. Um piloto deve se familiarizar a fundo com eles antes de que posse se considerar competente para conduzir a aeronave.

Esses segredos se encontram em “Rahasya-Lahari” e em outras obras, feitas por Lala e outros mestres, e descrevem assim.

“O piloto deveria ter tido formação em maantrica, e tântrica, Kritaka e antaraalaka, goodha ou oculto, drishya e adrishya ou visto e não visto, Paroksha e aparoksha, contração e expansão, trocar de forma, aspecto assustador, aspecto agradável, se converter em luminoso ou se envolver na escuridão, avalanche ou pralaya, vimukha, taara, atordoar por barulho estrondoso, saltar, se mover em zig-zag, como serpente, chaapala, se enfrentar em todos os lados, ouvir sons distantes, fazer fotos, conhecer as manobras inimigas, conhecer a direção de aproximação do inimigo, stabdhaka ou paralisar e karshana ou exercício de atração magnética”.

Os segredos que cada piloto Vimana deve aprender são explicados por Siddhanaatha:

  1. Maantrika: Tal como estabelece “Mantraadhikaara”, invocando os mantras de Chhinnamastra, Bhairavee, Veginee, Siddhaambra, adquirir os poderes de ghutikaa, paadukaa, mantras visíveis e invisíveis e outros com potentes ervas e azeites eficazes, e Mantra Bhuvaneswaree que confere poderes espirituais e mesméricos, para a construção de aviões, que não se rompem, não se podem cortar, não podem ser queimados, e não podem ser destruídos.
  2. Taantrika: ao adquirir Mahaamaaya, shambara, e outras potencias taantric, para dotar ao avião com esses poderes.
  3. Kritaka: Por estudo de arquitetos como Vishwakarma, Chhaayaaparuska, Mann, Maya e outros, para a construção de aviões de vários padrões.
  4. Antaraala: Na região da atmosfera varrida pelo vento do céu, no choque das fronteiras das correntes fortes, em um plano despercebido é provável que se rompam em pedaços. Mas ao ficar advertido do foco desse tipo de lugares perigosos, o avião poderia ser detido e conduzido com cuidado.
  5. Goodha: Como se explica em “Vaayutatva-Prakarana”, mediante o aproveitamento dos poderes, Yaasaa, Viyaasaa, Prayaasaa na oitava capa atmosférica que cobre a Terra, ou qual favoreça em atrair o teor escuro do raio solar, e o utilizar para ocultar a Vimana do inimigo.
  6. Drishya: Pela colisão da energia elétrica e a energia eólica na atmosfera, se cria um resplendor, cujo reflexo fica atrapalhado no Vishwakriyaa-darapana, o espelho na parte dianteira da Vimana, e por sua manipulação produz, um Maaya-Vimana Vimana ou camuflagem.
  7. Adrishya: Segundo “Shaktitantra”, por meio do Vynarathya Vikarana e outros poderes no centro do coração da massa solar, atrai a força da corrente etérea no céu, e se junta com o shakti balaahaavikarana no mundo aéreo, produzindo desse modo uma cobertura branca, que fará que a Vimana seja invisível.
  8. Paroksha: Segundo “Meghotpatthi-prakarana”, na ciência do surgimento de nuvens, mediante a introdução da segunda das capas de nuvens do verão, e a atração da potência do mesmo com o darpana shaktyaakarshana ou força de atração do espelho no Vimana, e o aplicando no pavivesha ou auréola do Vimana, se gera uma força paralisante, para poder por fora de combate ao inimigo.
  9. Aparoksha: Segundo shakti-tantra, “pela projeção do haz Rohinee da luz, as coisas na frente da Vimana se fazem visíveis.
  10. Sankocha ou Contração: Segundo a prescrição na seção Yantraangopasamhaara, quando o Vimana está voando a grande velocidade com as alas completamente expendidas, não há mais perigo pela frente, girar o sétimo disjuntor na Vimana, e suas peças se possam contrair.
  11. Vistrita: Segundo “Akaashatantra”, quando o Vimana está na concentração do ar central na terceira e primeira região do céu, girando o botão na seção 11 do avião, pode-se expandir adequadamente de acordo com “Valmiki Ganita”.
  12. Viroopa Karana: Como se indica no “Dhooma Prakarana”, mediante a produção da classe 32 de fumaça através do mecanismo e carregamento com a luz das ondas de calor no céu, e que se projeta através do tube de chakra Padmaka no óleo bhyravee-smeared Vyroopya-darpana na parte superior da Vimana, e dando voltas com o tipo 132a de velocidade, uma forma muito feroz e assustadora surgirá da Vimana, causando absoluto medo aos expectadores.
  13. Roopaantara: Com o se indica no “Tylaprakarana”, mediante a preparação do griddhrajihwaa, o kumbhinee e óleos kaakajangha e mediante sua união no espelho deformante no Vimana, aplicando no mesmo o 19 tipo de fumaça e de cargo com o shakti kuntinee no Vimana, formas como de leão, o tigre, o rinoceronte, uma serpente, uma montanha ou um rio aparecerão e surpreenderão aos observadores e os confundirá.
  14. Suroopa: Ao atrair aos 13 tipos de força Karaka mencionadas no “Karaka prakarana” e aplicando ar carregado de neve projetando-o através do tubo de transporte do ar aos espelhos pushpinee-pinjula na parte frontal à direita da Vimana, uma donzela celestial adornada com flores e joias aparecerá aos espectadores da Vimana.
  15. Jyotirbhaava: Como se indica em “Amshubodhinee”, fora de Samgnaana e outros 16 dígitos do resplendor solar, mediante a através do 12avo aos 16avo dígitos e focando-os na forçaárea na seção Mayookha a quarta via no céu, e de maneira similar mediante a atração da força do resplendor etéreo e juntando- o com o brilho na sétima capa da através da massa do ar, e logo mediante a projeção dessas duas forças através dos 5 tubos no Vimana na sessão do espelho, guhaa-garbha, um rico esplendor como o resplendor do sol de manhã se produzirá.
  16. Tamomaya: Como se descreve no “Darpana prakarana”, por meio do espelho da força negra, captura-se a força da escuridão, passando-a através do Thamo-Yantra no lado noroeste da Vimana, e girando um produto de comutação no meio-dia, se produzirá a escuridão absoluta da noite de lua nova.
  17. Pralaya: Tal como se descreve no livro mágico da destruição, ao atrair os 5 tipos de fumaça pelo tubo da máquina de recrutamento, com a parte dianteira da Vimana, e fundi-la na nuvem de fumaça que se menciona no “Shadgarbha Viveka”, e empurrando-o pela força elétrica através do tubo da antena de cinco extremidades, pode-se destruir tudo como um cataclismo.

Vimana

  1. Vimukha: Como se menciona no “Rig-hridaya”, mediante a projeção da força de Kubera, Vimukha e Vyshawaanara, pó venenoso através do terceiro tube de espelho roudree e ao ligar a chave do mecanismo do ar, produz dormência e coma.
  2. Taara: Mediante a junção com uma força etérea, 10 partes de forte ar, 7 partes da água e 16 partes do brilho solar, e projetando por meio do espelho da estrela enfrentando através do tubo frontal da Vimana, se cria a apareciam de um céu estrelado.
  3. Mahaashabda vimohana: Ao concentrar a força aérea nos sete tubes da Vimana, e ligar o botão, se produz, como se diz no “Shabda prakaash ikaa” um barulho ensurdecedor, que atordoa na pessoa, e os faz tremer de medo tornando-os insensíveis.
  4. Langhana: Como se indica em “Vaaya tattva prakarana”, ao cruzar de uma corrente de ar a outra, a Vimana se enfrenta o brilho do sol e se incendeia. Para prevenir isso, a força elétrica e a força aérea no Vimana devem estar unidades e dirigidas para o centro da vida da Vimana, e girando a chave, a Vimana saltará para a segurança.
  5. Saarpa-Gamana: Ao atrair a dandavaktra e outras sete forças do ar, e unindo-se com os raios solares, passando através do centro do zig-zag, da Vimana, e girando a alavanca, o Vimana terá um movimento ziguezague como uma serpente.
  6. Chaapala: Ao se produzir o avistamento de um avião, girar o botão no centro da força na parte media da Vimana, então umas 4087 revoluções gerarão uma velocidade de onda atmosfera, e agitarão o avião inimigo.
  7. Sarvatomukha: Quando uma formação de aviões inimigos trata de atacar a uma Vimana, girando o botão na coroa da Vimana, e ao fazê-la girar com agilidade e fará frente a todos os lados.
  8. Parashabda Graahaka: Como se explica no “Sowdaaminee Kalaa” ou a ciência da eletrônica, por meio da captura do som o yantra no Vimana, escutando assim as conversações e sons dos aviões inimigos que estão voando no céu.
  9. Roopaakarshana: Por meio do yantra fotográfico no Vimana se pode obter uma vista por televisão das coisas existente dentro de um avião inimigo.
  10. Kriyaagrahana: Ao girar a chave na parte inferior da Vimana, um pano branco aparece. Ao eletrificar os três ácidos na parte nordeste da Vimana, e submetê-los aos 7 tipos de raios solares, e passando a força resultante no tubo de espelho Thrisheersha e fazendo que o ecrâ da tela está frente ao espelho, e ao ligar na tecla superior, todas as atividades que estão passando abaixo no solo, se projetaram no ecrã.
  11. Dikpradarshana: Ao girar a chave na parte dianteira da Vimana a dishaampati yantra mostrará a direção na qual o avião inimigo se está aproximando.
  12. Aakaashaakaara: Segundo “Aakaasha-tantra”, misturando uma solução de mica preta com nem e decocções de bhoonaaga, e despejando a solução no exterior do Vimana feita de placas de mica, e quando exposto aos raios solares, o avião parecerá o céu e tornar-se-á praticamente invisível.
  13. Jalada roopa: Mescla de jogo de granada, bilva ou óleo Bael, cobre e sal, fumaça de cozinha, granthika ou líquidos Gugul, mostarda em pó, e decocções de peixes em escala, e a adição de concha marinha e pó de sal grosso, e se percebendo a fumaça da mesma solução e o aplicando com o calor solar que envolve a cobertura, o Vimana terá a aparência de uma nuvem.
  14. Stabdhaka: Projetando apasmaara, fumaça venenosa pelo tubo no lado norte da Vimana, e baixando com stambhana-yantra, a pessoa nos aviões inimigos se voltará inconsciente.
  15. Karshana: Quando os aviões inimigos vêm com força para destruir a Vimana, aplicar fogos no shakit Jwaaliniee no Vyshwaanara-naala ou tubo situada no umbigo do avião, e trocando as chaves das duas rodas a 87 graus de calor, o shakti envolverá o inimigo e o destruirá.

Estes são os 32 rahasyaas ou segredos que devem ser conhecidos pelos pilotos segundo Siddhanaatha.

Fonte: Exploracion Ovni

Publicado por Ufologia & Cosmos

Sou analista de sistemas apaixonado pelos estudos da teoria dos antigos astronautas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: